Uma pesquisa feita pela Universidade de Emory, nos Estados Unidos, revelou recentemente mais uma curiosidade sobre a inteligência dos nossos animais de estimação prediletos, os cachorros. De acordo com o relatório divulgado, os cães saberiam fazer determinados tipos de conta, fazendo operações de matemática básica.

De acordo com as informações que foram divulgadas pelos responsáveis pela pesquisa, foram feitos testes com 11 cães diferentes. Todos eles eram adultos saudáveis e eram das mais variadas raças, como Golden Retriever, Pitbull e Border Collie.

Pesquisa afirma que cães também sabem fazer contas

O teste acompanhava os cães que entravam voluntariamente em um aparelho e ficavam olhando para uma tela em que pontos luminosos que variavam de número e tamanho. Enquanto isso, os pesquisadores puderam observar como os cérebros desses animais funcionavam enquanto eles visualizavam as imagens. No monitor da ressonância, o cérebro dos bichos alternava de cor em algumas áreas específicas durante o processo.

Dessa forma, os pesquisadores conseguiram identificar que os cães estavam utilizando os lobos parietal e temporal do córtex cerebral, assim como acontece com os humanos, para essas tarefas. Além disso, eles observaram que a atividade neural aumentava conforme as proporções matemáticas se modificavam.

Pesquisa afirma que cães também sabem fazer contas

A conclusão que os cientistas chegaram é de que os cachorros usam partes do cérebro semelhantes às dos humanos para entender operações matemáticas básicas. Tudo acontece de forma espontânea, sem qualquer tipo de treinamento ou sistema de recompensas.

O relatório aponta ainda que todos os resultados que foram obtidos e analisados apontam para uma capacidade, por parte dos cães, de conseguirem interpretar números como uma criança, ou ainda como os primatas, que também já foram testados e mostraram habilidades semelhantes.

Agora, a Universidade pretende dar continuidade aos estudos em uma nova etapa do processo, com o objetivo agora de entender melhor como o cérebro humano se desenvolve para compreender as operações matemáticas que possam ser consideradas como mais complexas.