Por Rodrigo Bueno
- Atualizado
publicado em Saúde

Quando cães e gatos ficam mas velhos, é natural que os pelos fiquem mais brancos, o que acontece também com o processo de envelhecimento dos humanos. Mas, em alguns casos, este tipo de sintoma pode indicar o surgimento de uma doença que também acomete os humanos: vitiligo.

Vitiligo em cães e gatos: saiba detectar e cuidar

Este problema de saúde afeta diretamente os melanócitos, que são as células produtoras de melanina. A melanina, por sua vez, acaba se tornando a principal responsável pela pigmentação da pele. Ele se apresenta como manchas brancas focais ou generalizadas na pele e acompanhadas também pela despigmentação dos pelos.

A provável causa real da destruição das células produtoras da melanina seria devido a um ataque de anticorpos aos melanócitos. É hoje considerada como uma doença autoimune tal como o reumatismo, a tireóide, o lúpus, etc.

Vitiligo em cães e gatos

E não são apenas nos felinos que o vitiligo pode surgir, apesar de, nos gatos, ser mais fácil de se observar, já que eles costumam ter uma maior quantidade de pelos. Os cães também podem apresentar um quadro muito parecido. Mas é fundamental que os tutores consigam diferenciar o surgimento dos pelos brancos em função da idade com o surgimento de uma doença mais séria, como é o caso do vitiligo.

Para saber diferenciar as situações, é importante ficar de olho nos pelos dos pets. Aqueles que ficam branco em função da idade vão continuar tendo a coloração a pele normal, o que não acontece em razão do vitiligo. Além disso, o processo de branqueamento do vitiligo acontece de uma forma muito mais rápida, o que não acontece com o surgimento dos pelos brancos, que vão surgindo de uma forma mais devagar.

Nestes casos, é importante fazer uma consulta ao veterinário para checar qual é a real condição de saúde do pet.