Por Rodrigo Bueno

publicado em Saúde

As vacinas são consideradas fundamentais para aumentar o poder do organismo de se defender de alguns problemas de saúde que são muito comuns, mas especialmente aqueles que acabam sendo considerados como transmissíveis. Os cachorros contam com um esquema vacinal padronizado, apesar de não ser considerado como obrigatório de acordo com a lei.

Saiba quantas vacinas o seu cachorro precisa tomar

As vacinas devem começar a ser administradas nos cachorros a partir do momento que eles deixam de mamar nas suas mães, uma vez que o leite materno acaba protegendo bastante eles de doenças que podem ser consideradas como mais letais para os filhotes.

Para não se perder nas vacinas que precisam ser administradas os seus cachorros, siga as seguintes datas de preferência:

Idade: de 6 a 8 semanas

  • V8 ou V10 (previne: Cinomose Hepatite Infecciosa Canina, Adenovírus Canino Tipo 2, coronavírus Canino, Parainfluenza Canina, Parvovírus Canino e Leptospirose);

Idade: 12 semanas

  • V8 ou V10 (dose de reforço);
  • Gripe Canina (previne: Adenovírus Canino Tipo 2, Parainfluenenza Canina e Bordetella bronchiseptica);
  • Giardíase (Indicada para animais que vivem em grupos como canis, criadores ou locais com muitos cães que vivem e ambientes mais úmidos);

Idade: 16 semanas

  • V8 ou V10 (Última dose de reforço);
  • Gripe Canina (Dose de reforço da vacina injetável, a intranasal é aplicada em dose única);
  • Giardíase (Dose de reforço);
  • Anti-rábica (Raiva)

Depois do primeiro ano de vida

Saiba quantas vacinas o seu cachorro precisa tomar

É recomendado seguir com doses de reforço anualmente com uma dose de cada uma das seguintes vacinas:

  • V8 ou V10
  • Gripe Canina
  • Giárdia
  • Anti-rábica

Dicas para os dias de vacinação

Para que os dias de vacinação sejam mais tranquilos, é importante tomar alguns cuidados. É fundamental que os cães sempre sejam levados por adultos para que sejam vacinados em veterinários. Animais de médio e grande porte, ou ainda aqueles que possuem um comportamento menos dócil, devem estar de focinheira.

Além disso, é fundamental que os cães que estejam doentes não sejam vacinados. Nestes casos, é importante fazer uma avaliação no veterinário para receber mais informações sobre os procedimentos.