A Covid-19 segue com força em diversos países do mundo, especialmente no Brasil. Além de causar uma doença que pode se tornar fatal para os humanos, o coronavírus também pode acabar infectando nossos animais de estimação. Os primeiros diagnósticos confirmados pela UFPR em cães revelam que os cuidados precisam ser tomados com nossos animais de estimação.

Saiba o que fazer para proteger os cães da Covid-19

Vale lembrar que, até o momento, não existe nenhum indício de que os animais de estimação possam transmitir o coronavírus para os humanos. O que as pesquisas de casos confirmados ao redor do mundo estão mostrando é que, geralmente, o que acontece é o contrário. Ou seja, humanos infectados que acabam transmitindo a doença para os animais de estimação.

Os efeitos do coronavírus no organismo dos animais de estimação, como os cães que foram diagnosticados no Brasil, são parecidos com os dos humanos. Mas, até o momento, nenhuma morte de cachorro ou gato pela doença foi confirmada. Mas sabe-se que os pets acabam demonstrando uma dificuldade para respirar, além de episódios de espirros e similares.

Saiba o que fazer para proteger os cães da Covid-19

Porém, algumas pesquisas indicam que os humanos que possuem animais de estimação como os cães podem acabar tendo mais chances de pegar o coronavírus. Uma pesquisa feita Universidade de Granada e a Escola de Saúde Pública da Andaluzia, na Espanha, mostrou que tutores de cachorro têm 78% mais chance de serem contaminados pelo coronavírus. Isso acontece porque os animais podem se contaminar durante o passeio e carregar o vírus para casa.

Portanto, as dicas para evitar que o cão pegue Covid-19 são muito parecidas com os cuidados que os humanos devem ter:

  • Evite passeios longos pela rua;
  • Ao chegar em casa, higienize as patas do cão e também os acessórios, como coleiras e guias;
  • Evite que os cães se aproximem de pessoas estranhas durante o passeio;
  • Mantenha sempre o distanciamento social durante as caminhadas com o seu cão;
  • Caso existam humanos infectados na casa, o ideal é tentar isolar o cão.