Temos o botulismo como uma doença grave, que é relacionada a um tipo de intoxicação alimentar gerada por uma toxina, esta que é produzida pela bactéria Clostidrium botulinum. A doença é considerada como neuropática grave e os tipos C e D são os mais comuns de acontecerem entre os cães e os gatos. Em sua maioria, o diagnóstico da doença ocorre de difícil confirmação por ser uma doença considerada incomum nos animais domésticos.

Saiba mais sobre o botulismo em cães

Como é possível um cão contrair botulismo?

Para os cães, é comum ocorrerem diversas formas de contração da doença, entre elas podemos citar a carne crua, a carcaça de animais mortos, ossos contaminados, poças de água em contato com lixo, açudes em propriedades rurais, restos de lixo, além de terra com material orgânico.

Sintomas comuns do botulismo nos cães

Saiba que as toxinas que são ingeridas por alguns dos meios apontados anteriormente é absorvida no estômago e intestino, além de distribuídas pela corrente sanguínea. Este tipo de toxina acaba agindo de forma específica sobre o sistema nervoso periférico e impede a transmissão de impulsos de terminações nervosas para músculos. A partir disto os sintomas aparecem dentro de 1 a 2 dias de ingestão da toxina.

Saiba mais sobre o botulismo em cães

Dentre os sintomas comuns podemos citar paralisia de pálpebras e músculos da face, paralisia de diafragma e dificuldade respiratória, fraqueza severa de todas as pernas ou dos quatro membros.

O diagnóstico, prevenção e tratamento

O botulismo canino é diagnosticado a partir das mudanças clínicas e do histórico de ingestão de alimentos suspeitos de contaminação, entre eles o lixo, os ossos, entre outros. É feito então um exame neurológico completo do cão, exames de urina e sangue.

Para prevenir a intoxicação é fundamental o cuidado com passeios em lugares onde existe lixo, poças de água, e lugares onde existem alimentos em processo de decomposição e animais mortos. Não existe uma vacina para cães com o problema.

O tratamento é realizado em forma de terapia respiratória e cuidados relacionados a enfermagem. Casos mais severos existe a necessidade de internação.