Por Rodrigo Bueno

publicado em Saúde

O câncer é uma doença que está entre as principais causas de morte das pessoas e também dos cães. De acordo com uma pesquisa recente feita pela Universidade Federal de Santa Maria, do Rio Grande do Sul, um em cada cinco cães vaio acabar desenvolvendo a doença no decorrer da sua vida. Os números são semelhantes a uma outra pesquisa sobre o assunto feita nos Estados Unidos.

Pesquisa indica que um em cada cinco cães vai desenvolver câncer

Mas o motivo do aumento do surgimento da doença está vinculado, por incrível que possa parecer, a algo positivo: o aumento da expectativa de vida dos animais. Quanto mais os cães ficam velhos, maior a chance de acabar desenvolvendo algum tipo de câncer com o passar do tempo, algo que também costuma acontecer com os humanos.

Mas os pesquisadores alertam que ainda é muito complicado prever quando um cachorro poderá desenvolver câncer. Mas, assim como nos humanos, existem uma série de fatores de risco que aumentam consideravelmente as chances de que o pet acabe tendo essa doença. Além disso, no caso dos cachorros, outros fatores também interferem. Cães de grande porte e de raças puras, por exemplo, acabam tendo uma propensão maior a desenvolver o câncer ao longo da sua vida. 

Pesquisa indica que um em cada cinco cães vai desenvolver câncer

Alguns sinais surgem com maior incidência em fases iniciais do surgimento da doença. Nos cães, o câncer costuma se manifestar, na maior parte do tempo, na pele, nas mamas e também nas genitais dos cachorros. Inchaços que ficam um tempo em um determinado local e depois somem, por exemplo, podem ser tumores.

Outros sinais evidentes de estágios um pouco mais avançados da doença são dificuldades de respirar, se alimentar ou ainda de fazer suas necessidades. Em alguns casos, os cachorros acabam tendo até mesmo dificuldade em se movimentar.

O recomendado é manter uma rotina de check-ups dos animais de estimação e, caso surja alguma suspeita, realizar exames de sangue e de imagem.