Mesmo com toda a atenção e o visível aumento dos cuidados que os humanos possuem para com os seus animais de estimação, ainda existe pouco investimento e atenção em relação aos cuidados preventivos com a saúde dos pets. A informação surge a partir dos dados de uma pesquisa feita pelo Ibope Inteligência.

De acordo com os dados da pesquisa, foram consultadas, 2.002 pessoas em mais de 140 municípios, 76% dos entrevistados não fizeram qualquer tipo de mudança ou adaptação na casa quando adotou ou comprou um novo animal de estimação. Dentre os donos de gatos, apenas 28% afirmaram que instalaram telas nas janelas. Dentre os donos de cães, o número cai para 19%.

Além disso, apenas 16% dos entrevistados afirmaram que tomam algum tipo de cuidado em relação aos espaços nos quais os animais de estimação circulam dentro de casa. Entre aqueles que relataram acidentes domésticos, as principais causas foram quedas de lugares altos, como janelas —17% cães e 22% gatos. A ingestão de substâncias tóxicas, como produtos de limpeza, remédios, plantas ou objetos foi apontada por 16% dos tutores. Todos disseram não ter feito adaptações preventivas no imóvel.

A utilização de medicamentos veterinários preventivos também não está entre as prioridades dos brasileiros. Apenas 47% dos entrevistados fazem a aplicação de produtos para evitar pulas e carrapatos de duas a três vezes ao ano. A maioria utiliza os produtos apenas quando percebem os parasitas já instalados no pet.

A pesquisa foi realizada entre os dias 19 e 23 de setembro, quando foram entrevistados homens e mulheres a partir dos 16 anos. A margem de erro de 2 pontos percentuais.