Um dos problemas mais comuns que costumam afetar os cães mais velhos são as dores, algo que também costuma acontecer com os humanos de uma forma geral. Existem aquelas dores que acabam sendo referentes a um determinado problema de saúde específico, e existem as dores gerais, mais abrangentes, que também podem ser chamadas de cores crônicas.

Dor crônica: Saiba identificar se o seu pet sofre

De acordo com especialistas, este acaba sendo um problema que tende a surgir de uma forma mais elevada justamente em virtude dos cães estarem vivendo mais, algo que acontece especialmente em função dos avanços que são feitos pela medicina veterinária de uma forma geral.

A origem mais comum dessas dores acaba sendo uma doença chamada de osteoartrite, que é degenerativa e que afeta especialmente os ossos e tecidos moles de articulações (principalmente os joelhos). Além de causar a dor, este é um problema que acaba tendo um impacto direto na flexibilidade do animal.

Mas as dores crônicas também podem ser causadas por outras doenças, tais como otite, tumores (câncer), traumas mecânicos oriundos de fraturas, contusões, doenças renais, doenças periodontais e por distúrbios neurológicos.

Principais sinais

Dor crônica

1- Dificuldade para realizar movimentos, como correr, caminhar, levantar;

2- Maior esforço para movimentação em pisos lisos;

3- Claudicação (mancar) de um ou dois membros posteriores, o que leva a depositar mais peso nos membros anteriores;

4- Redução na amplitude das passada;

5- Relutância à realização de exercícios;

6- Evitar ser tocado.

O que pode ser feito

Quando os donos identificam este tipo de problema, é preciso encaminhar o animal imediatamente para um veterinário, que vai conseguir realizar um diagnostico preciso e saber o que está causando essas dores. Além disso, estes profissionais vão indicar os remédios mais indicados, sendo que geralmente o tratamento é realizado com anti-inflamatórios não-esteroidais (AINES) e/ou analgésicos.