Fofuxo.com

Dicas para tratar e prevenir problemas de colunas em cães

Postura curvada, tremor muscular e dificuldade para caminhar estão entre os principais sinais dos problemas nesta área.

Problemas na coluna são comuns nas mais variadas raças de cachorros. Assim como os humanos, quando eles sentem dores nesta região a vida acaba se tornando realmente complicada, e os sintomas surgem todo o tempo. Dentre os principais sintomas estão dor abdominal, falta de apetite, postura curvada, falta de disposição para atividades físicas, tremor muscular, arrastar as patas traseiras ou mancar com frequência.

Estas dores podem surgir em função do surgimento de deformações conhecidas como bicos de papagaio, que também são bastante comuns nos humanos. Além disso, cachorros também podem desenvolver as temidas hérnias de disco. Pesquisas apontam que problemas na coluna são as causas de cerca de 40% dos atendimentos ortopédicos de hospitais veterinários.

Dicas para tratar e prevenir problemas de colunas em cães

Os cachorros mais velhos acabam tendo mais chance de desenvolver os problemas na coluna. Além disso, algumas raças, devido ao formato do seu corpo, também acabam entrando no chamado grupo de risco em relação as doenças da coluna, tais como aqueles que possuem uma coluna longa e patas mais curtas.

Prevenção

Para evitar que o problema tenha mais probabilidade de aparecer ou evoluir, os donos vão precisar tomar alguns cuidados. Antes de mais nada, é preciso evitar que estes animais realizem movimentos considerados de alto impacto, tais como subir e descer de sofás, cama e escadas.

Dicas para tratar e prevenir problemas de colunas em cães

Outro fator que acaba sendo muito importante nesta situação é evitar que os animais fiquem acima do peso, pois a carga adicional pode acabar prejudicando ainda mais as patas e a coluna como um todo. Na hora de passear, as coleiras com apoio peitoral acabam sendo as mais recomendadas.

Tratamento

Caso o cachorro já esteja apresentando alguns dos sintomas citados, é recomendado levar para uma avaliação veterinária imediata. Após a triagem clínica, o cachorro deverá fazer um exame de raio x. Em casos mais graves, também será necessário realizar uma tomografia computadorizada. O tratamento posterior poderá ser tanto clínico quanto cirúrgico.

Postado em .


Pela Web

Comentários