A 3ª Vara Federal do município de Santa Maria, no interior do estado do Rio Grande do Sul, confirmou esta semana que um veterinário pagará multa no valor de R$ 8 mil por maus-tratos contra cães. O caso aconteceu em 2012, quando o veterinário era doutorando na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Veterinário pagará multa por maus-tratos contra cães

De acordo com as informações que constam no processo movido contra o réu, o estudante fazia experimentos com cachorros colocando placas de titânio, que eram de uso humano, na mandíbula e nos maxilares dos cães. Foram 12 animais que viveram como cobaias e que tiveram parte da mandíbula removida.

O então veterinário conseguiu um acordo com a justiça para o pagamento, em juízo, da multa, que será posteriormente revertida para uma instituição de proteção ou acolhimento de animais abandonados ou apreendidos do município.

Veterinário pagará multa por maus-tratos contra cãesMaus-tratos

O processo foi movido pelo Ministério Público depois de denúncias anônimas. Na investigação foram constadas diversas irregularidades nos tratos com os animais. Os cães teriam ficado presos dentro de gaiolas depois que o procedimento era feito, sem o acompanhamento clínico necessário e muitas vezes sem alimentação.

Outro agravante do processo foi o fato do MP ter descoberto que o doutorando viajou para outra cidade deixando os animais sob cuidados de estagiários que não teriam recebido a devida orientação para os cuidados dos animais. O resultado: sete animais tiveram que ser sacrificados.

Defesa

Na defesa os advogados do réu afirmaram que todo o procedimento estava sendo supervisionado por um orientador e que as experiências tinham caráter acadêmico e inovador, o que acabou não justificando, para a justiça e para o Ministério Público, a morte e as lesões causadas nos animais.