A grande onda de incêndios que está devastando a Austrália já teria matado quase meio bilhão de animais, de acordo com os dados que foram divulgados pela Universidade de Sydney. Os números levam em consideração os focos de incêndios que acontecem desde setembro do ano passado, e que acabaram se tornando mais frequentes nas últimas semanas.

Quase meio bilhão de animais teriam morrido em incêndios na Austrália

Dentre todos os animais que estão sofrendo com as chamas, os coalas aparecem como a espécie que mais foi dizimada. Dados de pesquisas feitas revelam que cerca de um terço de toda a população do animal teria morrido em Nova Gales do Sul, que é considerada como habitat natural dos bichos.

Os motivos pelos quais os coalas  acabam se tornando mais vulneráveis ao incêndio pode ser explicado devido aos seus hábitos naturais. Estes animais costumam se movimentar de uma forma bem mais lenta do que outras espécies. Além disso, eles se alimentam das folhas de eucalipto, que são cobertas por óleo e acabam pegando fogo muito rapidamente.

Nas últimas semanas, fotos e vídeos que mostram animais correndo por suas vidas ou pedindo água para os humanos acabaram tomando conta das redes sociais. Em um vídeo publicado pela imprensa local, cangurus são avistados fugindo às pressas das chamas que se alastravam rapidamente. Em outro, bombeiros dão água a um coala sedento em uma área próxima do fogo.

Quase meio bilhão de animais teriam morrido em incêndios na Austrália

No ano passado, um vídeo que mostrava o resgate de coalas já tinha se tornado muito popular nas redes sociais, dando uma terrível amostra do que estaria por vir. No vídeo, uma mulher entra na floresta em chamas depois que viu um animal vagando e chorando por conta dos ferimentos. O coala acabou sendo retirado do local, mas foi sacrificado em função da grande quantidade de queimaduras.

Um dos zoológicos mais populares da Austrália, chamado de “Casa do Caçador de Crocodilos”, revelou essa semana dados que mostram que foram registrados mais de 90 mil atendimentos a animais depois que os incêndios começaram.