Uma província do Camboja anunciou oficialmente que está proibindo o consumo de carne de cachorro em todo o seu território. Trata-se da região de Siem Reap, onde ficam as ruínas de Angkor Wat. Este é o primeiro local dentro do país que faz tal proibição, uma vez que o consumo de carne de cachorro também é considerado natural na região.

Província do Camboja proíbe consumo de carne de cachorro

A decisão acaba tendo uma grande importância, uma vez que estima-se que no país são consumidos cerca de 3 milhões de cachorros todos os anos. O local é considerado como um dos mais visitados para turismo no país, recebendo cerca de 2 milhões de pessoas de outros países anualmente.

A região também acabou sendo identificada por fornecer e traficar cachorros no Camboja, de acordo com um grupo de ativista chamado Four Paws.  Tea Kimsoth, diretor do departamento de agricultura, pesca e florestas da província, disse que havia pedidos de estrangeiros, especialmente sul-coreanos, que são os turistas mais frequentes na região.

“A popularidade de carne de cachorro aumentou com os estrangeiros, especialmente com os coreanos. Eles gostam, e os restaurantes começaram a servir. Agora, nós proibimos”, afirmou.

Província do Camboja proíbe consumo de carne de cachorro

A partir desta decisão, quem for pego vendendo carne de cachorro no território precisará assinar um termo se comprometendo a não repetir este comportamento. Caso seja reincidente, os autuados deverão pagar uma multa.

A China, considerada como um dos maiores consumidores de carne de cachorro no mundo, anunciou neste ano uma mudança de postura mais radical. O governo aprovou uma lei que e o comércio e consumo de animais selvagens. Embora essa lei não se aplique especificamente aos cães, o Ministério da Agricultura reclassificou os cachorros como mascotes, removendo-os da lista de animais que podem ser comidos.