Algo que todos os donos de cães já se preocuparam ou tiveram curiosidade em saber está diretamente relacionado ao parentesco dos animais que eles possuem dentro de casa. Sempre surgem diversas teorias sobre o quão próximo os cachorros podem ser encontrados de outros animais, e também das diversas raças entre si.

Pesquisadores revelam nova árvore genealógica dos cães

De uma forma geral, quando estamos falando deste assunto, todos os cães acabam tendo origem em uma mesma espécie, chamada Canis lúpus familiaris. Mas, com o passar do tempo, foram surgindo uma grande quantidade e variedade de raças de cães, sendo que boa parte delas acabaram aparecendo em função das intervenções que foram feitas pelos humanos.

São diversos os aspectos que acabam interferindo diretamente nos cães para que eles fossem ganhando características distintas, tais como as migrações que eles faziam, em grande parte seguindo os donos humanos, bem como a atuação dos diferentes tipos de climas encontrado pelos cachorros e também a sua relação com os humanos de uma forma geral.

Para entender melhor essa grande família canina, pesquisadores divulgaram o que pode ser chamado da nova árvore genealógica dos cães. Este resultado foi obtido depois de uma grande pesquisa que durou cerca de 20 anos. O mapa identificou 1346 animais, de 161 variedades diferentes. Apesar de parecer um número grande, os próprios pesquisadores sabem que ele representa pouco mais da metade das raças que existem no planeta.

Pesquisadores revelam nova árvore genealógica dos cães

Os cachorros foram divididos em grupos, chamadas de “clades”, sendo que os pesquisadores criaram 23 delas. Em cada um destes grupos foram colocadas as raças de acordo com determinadas categorias. Por exemplo, os cães mais “fortes”, tais como os buldogues, boxers e boston terriers, foram colocados em uma, e os mais calmos, como pastor inglês, corgi, e border collie, em outra.

O mapa também informa o momento da história onde determinada raça começou a ser encontrada. Por exemplo, o golden retriever surgiu na chamada Era Victoriana. O mesmo vale para a raça setter irlandês, o que demonstra que essa foi uma época onde os cães surgiram para determinadas atividades, tais como caças e expedições de desbravamento.