As instituições que buscam levar cuidados aos animais abandonados estão tendo que buscar soluções criativas para continuar com suas ações. Muitas realizam constantemente feiras de adoção. Mas como os eventos e aglomerações estão proibidos em boa parte do Brasil, em função das medidas de combate ao novo coronavírus, muitas instituições estão com seus espaços ainda mais cheios do que o de costume.

ONG faz “lives” para incentivar adoção de animais

Mais uma instituição que funciona na cidade de Viamão, no estado do Rio Grande do Sul, resolveu inovar. A ONG 101 Viralatas entrou na moda das lives, transmissões ao vivo feitas pela internet, mas com o objetivo de encontrar um lar para os seus cães.

De acordo com as informações que foram divulgadas sobre o funcionamento da instituição, a ONG já funciona há mas de 16 anos, e sempre contou com a ajuda de doações e também com algumas parcerias para conseguir manter o seu trabalho. Mas os recursos recebidos acabaram sendo reduzidos drasticamente com a pandemia do novo coronavírus.

Por isso, a instituição decidiu fazer lives, tanto para angariar recursos quanto também para encontrar novas casas para os cães que atualmente estão lá residindo. Ao longo das transmissões são apresentados diversos pets que estão apenas aguardando pessoas de bom coração para levá-los.

ONG faz “lives” para incentivar adoção de animais

“As doações caíram bastante, como a gente tem o brechó e a gente tinha esses produtos pets tivemos a ideia de fazer as lives. Fazemos todos os sábados, às 10h começa uma hora de live de venda do brechó, depois às 13h fazemos a de adoção. A ideia é fazer um sebo também”, explicou ao G1 a fundadora da ONG, Aline Orestes Vieira.

A iniciativa parece que está funcionando. Desde que começaram as transmissões ao vivo pelas redes sociais, 10 cães conseguirem um lar definitivo. “Claro que a gente também não quer que adote só pelo impulso, tem que ser uma adoção consciente. A gente verifica o pátio, pede pro adotante mandar um vídeo, ver se não tem perigo de fuga”, disse.

Para conhecer o trabalho da instituição, acesse a página da ONG 101 Viralatas no Facebook.