Por Rodrigo Bueno

publicado em Notícias

Uma moradora da cidade de Alfredo Wagner, no estado de Santa Catarina, viajou mais de 1.300 km até Uberlândia, em Minas Gerais, com um único objetivo: recuperar Charlie, o cachorro de estimação que ela não via desde o ano de 2019. O cão havia sido adotado originalmente no ano de 2016, mas acabou tendo que ficar no estado mineiro depois que Ruth, uma uruguaia, teve que voltar ao seu país de origem em 2018.

Mulher viaja mais de 1.300 km para reencontrar cachorro

De acordo com a história que foi contada, Ruth teve que viajar no ano de 2018 e deixou o cão que tinha sido adotado com sua filha. No ano passado, a filha de Ruth deixou o cachorro em outra casa, pois ela teve que viajar também. Mas o mascote acabou fugido, uma notícia que realmente deixou em choque a dona do pet.

“Em 2020, minha filha deixou ele em uma casa, pois teve que viajar. E dessa casa o Charlie fugiu. Eu não sabia que ele estava nessa casa, fiquei esperando todo o ano de 2020, mas minha filha apareceu em janeiro sem o cachorro e com a notícia que tinha o deixado em uma casa e que ele tinha fugido”, lembrou Ruth.

Quando ficou sabendo que o seu pet tinha fugido, Ruth deu início ao processo de buscas. Ela começou a colocar uma série de anúncios nas redes sociais e também conversar com as pessoas que moram nas proximidades da casa de onde o cão fugiu. Até que ela descobriu pistas de pessoas que estariam com o cão.

Mulher viaja mais de 1.300 km para reencontrar cachorro

Primeiramente os familiares iniciaram uma negociação a distância, o que acabou não sendo muito exitosa. A partir daí, a própria Ruth teve que entrar em cena e voltar para Uberlândia. O problema é que ela já estava morando em outra cidade, em Santa Catarina. Ela conseguiu ficar hospedada em um apartamento de uma desconhecida, que ficou comovida com a história.

Ruth então foi seguindo as pistas na busca pelo animal até chegar a quem estava com eles. “A única coisa que eu tinha mesmo era medo, pois me falaram coisas diferentes. Quando comecei a procurar, me disseram que ele estava morto; depois, fiquei sabendo que ele estava na rua, que tinha fugido; depois que tinha sido resgatado e as pessoas que estavam com ele não queriam falar onde que estavam”.

Até que, depois de uma semana, ela achou o cachorro. Para conseguir ter o seu amigo de volta, pagou um valor de R$ 1.200 como recompensa. “Eu realmente, do fundo do meu coração, achei que não iria encontrá-lo. Foi muito sofrido sabe, mas eu estou muito feliz, pois todo o tempo que tiver, vou dar para ele o melhor”, completou Ruth.