Uma denuncia de crueldade contra um cachorro acabou gerando uma onda de revolta e protesto na internet e também fora dela. No centro da polemica está a rede de supermercados Nacional. Um segurança de uma das lojas que ficam em Osasco, em São Paulo, teria torturado e depois morto um cachorro de rua que ficava no pátio do estabelecimento.

Morte de cachorro em loja de Carrefour gera revolta

As denuncias acabaram ganhando corpo nas redes sociais. Foram publicadas imagens que mostram que o animal teria tido suas patas traseiras feridas. As fotos também mostram uma grande quantidade de sangue no chão. Além disso, também surgiu notícia de que a mesma pessoa teria tentado envenenar o Cão.

O cachorro teria sido socorrido pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

No começo, uma versão que narrava um suposto atropelamento acabou aparecendo para tentar justificar a morte do animal, mas ela acabou sendo rapidamente desmentida pelos próprios funcionários do estabelecimento, que afirmaram que o animal teria sido agredido a pauladas.

O cachorro estava na loja de Osasco havia alguns dias e chegou a receber água e alimentos dos funcionários do local. Ainda de acordo com denúncias nas redes sociais, o segurança da loja teria agredido o cachorro após uma suposta ordem de seu superior para “limpar” o mercado, que receberia naquele dia visita de executivos da empresa.

Morte de cachorro em loja de Carrefour gera revolta

Um delegado atuante na causa animal esteve no local e afirmou que um inquérito será realizado na tentativa de responsabilizar a pessoa que teria cometido esse ato de crueldade, que inclusive foi identificado pelos funcionários do local. Uma grande quantidade de pessoas, pertencentes a um grupo de protetores de animais foram ao local para protestar.

O Carrefour, que vem recebendo diversas criticas pelas redes sociais, emitiu uma nota afirmando que afastou a equipe de segurança que estava atuando na noite do ocorrido e que está fazendo uma investigação interna para apurar os fatos.