Um dos casos que mais chamou atenção na semana que passou foi o resgate de mais de 1,5 mil cães que foram resgatados de um canil irregular localizado na cidade de Piedade, no interior do estado de São Paulo. A pessoa que liderou e mostrou o caso para o mundo foi Luisa Mell, que acabou se tornando reconhecida como ativista animal.

Luisa Mell aluga três espaços para receber 1707 cachorros resgatados

No decorre dos últimos dias surgiram novas informações sobre a continuidade do resgate. De acordo com os números atualizados que foram mencionados por Mell, foram 1.707 cachorros que acabaram sendo retirados do local. Na última terça-feira, dia 19, a ativista divulgou um vídeo mostrando que teve que alugar outros dois espaços.

Um dos grandes problemas enfrentados neste tipo de resgate é justamente o local onde as pessoas deixam os cães que são retirados de situações precárias. De acordo com Mell, o local será utilizado como aluguel temporário para que os cães fiquem durante um tempo de recuperação.

Luisa Mell aluga três espaços para receber 1707 cachorros resgatados

“Passaram anos confinados, em grades pequenas. Estamos trabalhando para, em poucos dias, dar-lhes a estrutura que merecem“, escreveu Luisa. Há, inclusive, áreas verdes para soltura e lazer dos cães. A ONG está em vias de assinar contratos com empresas de limpeza, pois o serviço estava sendo feito por voluntários. Após tudo organizado e os cachorros recuperados, todos serão colocados para adoção.

Além disso, Luisa Mell reclamou no Instagram que está recebendo uma série de denuncias e de ameaças de outros criadores de cães, para prejudicar o seu trabalh. “Todos querendo me destruir, mas não vão conseguir. E vamos acabar com essa baixaria que é essa exploração de animais. Eu nunca vou desistir. Sei que tenho um exército do bem junto comigo“, desabafou.