Um homem que resolveu adotar um cachorro adulto acabou tendo uma grande surpresa. Mais do que simplesmente levar para a casa um pet que se tornaria o seu grande amigo, também acabou levando para casa um salvador, mesmo depois do animal ter sido rejeitado por três abrigos.

Homem adota cão que salva a sua vida

O cachorro em questão foi batizado como Sadie, da raça pastor-alemão já adulto, pesando nada menos do que 45 quilos. Justamente por ser um animal de porte grande, muitos locais que costumam ficar com cachorros abandonados na rua acabaram negando a sua permanência. Até que finalmente conseguiu um lugar para ficar algum tempo no refúgio animal Ramapo-Bergen, em Oakland, Nova Jersey, no início de 2020.

Foi neste local que apareceu um homem chamado Myers. Mesmo que Sadie demonstrasse ter muito medo de ficar perto de homens, ela se aproximou de Myers e parece que os dois realmente conseguiram criar uma conexão, nas palavras dos responsáveis pelo abrigo. No início de outubro, Myers levou Sadie para casa.

Após três meses de vínculo e treinamento, Myers e Sadie tornaram-se companheiros durante o isolamento devido à pandemia. “Pudemos resolver todos os problemas (de ansiedade) dela”, disse Myers à CNN. “Ela é uma cadela notável”.

Homem adota cão que salva a sua vida

E no começo deste ano, Sadie demonstrou realmente ser uma cachorra notável. No dia 18 de janeiro, Myers passa mal no meio da noite. Ao tentar levantar da cama, acaba caindo no chão. Neste momento, de acordo com o próprio, ele não sentia mais as pernas. Ele tinha recém se recuperado da Covid-19.

Ele ficou preso entre a cama e a parede, não conseguindo alcançar o seu telefone celular. Quando Sadie percebeu o que estava acontecendo, começou a lamber seu rosto e mostrar sinais de angústia.

“Em um esforço para consolá-la, comecei a fazer carinho nela e assim coloquei a minha mão em sua coleira, ela imediatamente começou a me puxar para o outro lado do cômodo, onde pude pegar meu celular e pedir ajuda”, contou o homem durante sua entrevista.

Ele foi internado em uma clínica, onde ficou cerca de três semanas. Ao retornar para casa, o seu encontro com a cachorra foi emocionante: “Ela estava pulando em cima de mim, me beijando, arrancando a minha máscara e tudo que eu conseguia pensar era ‘eu amo essa cachorra’”, disse Myers, que agora planeja escrever um livro infantil sobre a Sadie.