Hospitais veterinários ainda são uma realidade distante em diversas cidades do Brasil. Na grande maioria dos casos, os donos de pets contam apenas com serviços particulares de atendimento. Mas alguns locais já entenderam a importância de se manter um local de atendimento aos animais que seja público e gratuito.

Goiânia pode ganhar hospital veterinário

Recentemente a Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) da Câmara Municipal de Goiânia, em Goiás, aprovou a criação de um hospital público veterinário e de um Centro de Acolhimento Animal na cidade. Este é considerado como um primeiro passo para que o hospital realmente possa ser construído.

Além disso, a mesma comissão também aprovou uma resolução que pode autorizar que animais domésticos visitem pacientes que estejam internados em hospitais da cidade. A proposta que libera a entrada de animais em hospitais para visitas aos tutores se refere aos hospitais públicos, privados, a clínicas da família, aos ambientes terapêuticos e de tratamento, além dos asilos da rede do Sistema Único de Saúde (SUS).

De acordo com o projeto, as visitas deverão ser agendada na administração das unidades de saúde e ser feita sempre com o acompanhamento de uma pessoa responsável. O animal deve ser levado sempre em uma caixa de transporte e ter atestado de boas condições de saúde. Este atestado deve ser emitido e assinado por um médico veterinário.

Goiânia pode ganhar hospital veterinário

Já o hospital previsto no projeto será criado com o objetivo de atender animais domésticos, nativos ou exóticos de todos os tamanhos, que estiverem em situação de abandono ou que sejam tutelados por famílias de baixa renda. Animais encaminhados por órgãos públicos, ONGs e protetores também serão atendidos.  Os recursos deverão ser realocados da Agência Municipal de Meio Ambiente.

O hospital deve ter um cartão emitido para cada animal, que será utilizado para que seja feito um acompanhamento dos procedimentos. No local, serão oferecidos atendimento hospitalar clínico, cirúrgico, reparatório e de internação, atendimento emergencial, atendimento de resgate para vítimas de acidentes, exames laboratoriais e de imagem, vacinação, castração, fisioterapia, atendimento farmacológico e adestramento, para evitar condutas agressivas, além de registro e cadastramento dos animais abandonados.

Os projetos ainda precisam ser aprovados pelos vereadores.