A China anunciou hoje uma atualização no Diretório de Recursos Genéticos para Pecuária e Agricultura que retira os cachorros da lista de animais que podem ser criados, negociados e transportados para fins comerciais. Na prática, isso significa que em nenhum lugar no país todo os cães poderão ser criados e vendidos para consumo.

China tira cachorros de lista de animais que podem ser criados para consumo

A alteração pode ser considerada como uma verdadeira vitória da comunidade internacional e dos defensores da causa animal. Essa foi uma alteração que já havia sido, de certa forma, confirmada no mês passado, quando o Ministro dos Assuntos Agrícolas e Rurais fez uma declaração pública afirmando que os cães não deveriam mais ser incluídos na pecuária.

"Com o passar do tempo, as ideias de civilização e hábitos alimentares estão em constante mudança, e alguns costumes tradicionais sobre cachorros também vão mudar", diz postagem feita no site do ministério.

China tira cachorros de lista de animais que podem ser criados para consumo

Vale ressaltar que a medida não proíbe, no país inteiro, o consumo de carne de cachorro. Apenas impede que uma empresa, por exemplo, tenha um registro que permita com sejam criados e vendidos cães para o consumo de humanos. Por enquanto apenas duas cidades chinesas proibiram completamente o consumo de carne de cães e gatos: Shenzhen e Zhuhai.

A medida acaba tendo ainda mais relevância por ter sido confirmada nas vésperas do Festival da Carne de Cachorro de Yulin, considerado como um dos eventos mais importantes e tradicionais relacionado ao consumo de carne de cachorro no país. A Humane Society Internacional estima que 10 milhões de cachorros e 4 milhões de gatos sejam mortos para consumo todos os anos no país.