Uma notícia triste acabou tomando conta dos noticiários orientais, especialmente os da China, neste começo de semana. Pelo menos 5 mil cães tiveram que ser sacrificados pelas autoridades locais na tentativa de controlar um grande surto de raiva. A crise sanitária aconteceu em Baoshan, na província de Yunnan.

China sacrifica milhares de cães para controlar surto de raiva

De acordo com as informações que foram divulgadas pela agência de notícias estatal Xinhua neste domingo, dia 09, os sacrifícios foram feitos durante a última semana, depois que a crise se agravou. Pelo menos 5 pessoas morreram vítimas da raiva.

Além dos cães que foram sacrificados, o governo local deu início a uma grande campanha de vacinação emergencial nos animais que não haviam apresentado os sinais da doença. Pelo menos 100 mil cães receberam uma dose de vacina nestes últimos dias. Mas o governo conseguiu vacinar apenas os cães domésticos, que tinham alguém como responsável. Os cães de rua acabaram sendo mortos.

Apesar da crise sanitária ter se agravado nas últimas semanas, a morte dos cães não foi perdoada pelos ativistas e pelas organizações que defendem os direitos dos animais. Foram registrados protestos em diversos locais da cidade. As entidades afirmam que este tipo de política de eliminação dos cães de rua é frequente e que o governo não investe em medidas paliativas de forma eficiente, como campanhas de vacinação regulares e castração.

Apesar do grande número de mortes, por enquanto o número não se aproxima aos 37 mil cachorros que foram mortos no ano de 2009 depois e um surto de raiva na mesma região.