Um cachorro ficou três dias na frente da porta de um hospital esperando pela sua dona. As informações foram repercutidas pela imprensa local da cidade de Itambé, localizada na Bahia. As pessoas que perceberam o que estava acontecendo rapidamente se comoveram com a situação do cão.

Cachorro fica três dias na porta de hospital esperando a dona

De acordo com as informações que foram levantadas pela imprensa, a dona do cachorro se chama Laura Botelho dos Santos, de 83 anos de idade. Ela acabou sendo internada no hospital depois de sofrer com uma forte gripe. E durante todo este período o cachorro ficou na frente da porta do Hospital São Sebastião.

Tanto os moradores do entorno do hospital quanto os funcionários do hospital perceberam que o cão não queria sair do local enquanto a sua dona não ganhasse alta. Passaram a prestar alguns cuidados com o cachorro, dando água e comida para o mesmo. Mesmo depois que os filhos da aposentada pegaram o cachorro no colo e levaram para casa ele acabou dando um jeito de escapar do pátio e retornar para a porta da frente do hospital.

"Ele ficou muito triste quando ela entrou e não saiu mais. Ele tentava entrar no hospital para ficar com ela. Os dois são muito apegados. Onde minha mãe vai, ele vai atrás. Enquanto ele a esperava do lado de fora, ela se preocupava com ele de dentro do hospital”, comentou a filha Ivani Botelho dos Santos.

Cachorro fica três dias na porta de hospital esperando a dona

Os familiares afirmaram que essa foi a primeira vez que a idosa teve que ser internada em um hospital depois que o cachorro foi adotado pela família. Mesmo sabendo que o cachorrinho estava esperando por ela, a aposentada teria se emocionado bastante na saída do hospital quando se deparou com o seu cachorrinho a esperando na porta da frente.

O cachorro se chama Smith e está vivendo com Dona Laura há quatro anos. Anteriormente o cão pertencia a um dos filhos da aposentada, mas quando ele teve que viajar acabou deixando Smith com ela, e desde então não tinham mais se separado. “Até na missa ele vai com ela e quando ele não vai as pessoas perguntam dele. Ele já é famoso na cidade", brincou Eliete, a filha que mora mais perto de Dona Laura e cuida dela.