Aquele que foi considerado como o cachorro mais inteligente do mundo morreu na ultima semana aos 15 anos de idade. Trata-se de Chaser, uma Border Collie que residia no estado da Carolina do Sul, nos Estados Unidos. Ela acabou ganhando o reconhecimento depois de provar que conseguiu aprender o nome de mais de mil itens.

Cachorro considerado mais inteligente do mundo morre aos 15 anos

Chaser aprendeu o nome de itens como brinquedos e bolas de pelúcia ao longo da sua vida, resultado de um intenso treinamento feito pelo seu proprietário. Com isso, acabou desenvolvendo aquela que até hoje é atestada como a maior capacidade de memória de um animal já conhecido até hoje.

O treinamento de Chaser foi conduzido por John Pilley, um psicólogo que lecionou por década em uma conceituada instituição de ensino na Carolina do Sul e depois acabou aplicando uma série de treinamentos no cachorro. A inspiração veio de uma história de um cachorro alemão que tinha conseguido aprender o nome de cerca de 200 itens.

Usando uma técnica de treinamento de cães desenvolvida por ele, John Pilley começou a trabalhar com a Chaser diariamente. Ele mostrava um brinquedo para ela, repetia seu nome quarenta vezes, escondia e dizia para ela encontrá-lo. Entretanto, ele continuava a dizer seu nome enquanto ela olhava.

Cachorro considerado mais inteligente do mundo morre aos 15 anos

Ao longo de três anos de treinamento, Chaser conseguiu demonstrar a incrível capacidade de realmente aprender e decorar o nome dos itens. Foram mais de 800 animais de pelúcia diferentes, 116 bolas, 26 frisbies, dentre outros itens. No ano de 2013, o psicólogo publicou um estudo que mostrou ao mundo o resultado do treinamento.

No ano de 2014, Pilley lançou o livro “Chaser: Desvendando o gênio do cão que conhece mil palavras”, no qual compartilha a história de como treinou o cachorro para que ele conseguisse expandir a sua capacidade de compreensão da linguagem. A partir de então Chaser ficou muito famosa, aparecendo em diversos programas de televisão, tanto nos Estados Unidos quanto fora do país.

A morte da cachorra, de acordo com a família, aconteceu de causas naturais.