Fofuxo.com

Saiba mais sobre o tratamento da leishmaniose visceral canina

A doença ataca e mata 90% dos animais que não recebem nenhum tipo de tratamento para o problema.

Seu cão também poderá pegar leishmaniose visceral canina, esta que é uma doença transmitida, confira os seus sintomas e saiba como é possível evitar contaminações com seu pet. A transmissão desta doença ocorre a partir de uma picada de mosquito conhecido como mosquito palha. Após contaminados, apenas as fêmeas poderão transmitir a doença para o cão.

Saiba mais sobre o tratamento da leishmaniose visceral canina

Conforme especialistas, a doença mata mais de 90% dos animais que não recebem nenhum tipo de tratamento.

Há tratamentos para leishmaniose canina?

Sim, o cãozinho com este problema poderá ser tratado, e o tratamento deverá incluir um medicamento conhecido como Milteforan, da Virbac do Brasil, aprovado de forma recente pelo Governo Brasileiro, já que antes os animais contaminados simplesmente eram submetidos a eutanásia.

Existe uma grande preocupação para controlar e erradicar a doença, já que ela é uma das seis endemias prioritárias no mundo, sendo os cães os mais relevantes reservatórios do problema. Com a utilização do medicamento, os cães deixam de ser transmissores da doença para outros mosquitos, que podem inclusive picar os humanos.

Existe vacina para este problema?

Saiba mais sobre o tratamento da leishmaniose visceral canina

Mesmo após consumir o remédio, os cães precisam permanecer o resto de sua vida na supervisão veterinária, já que a medicação possui uma capacidade de reduzir a quantidade de parasitas nos cães, mas não os eliminar por completo. Existe atualmente uma vacina contra o problema, e sua dose é tomada uma vez.

Conforme veterinários, a melhor alternativa para prevenir a doença é eliminar o mosquito que se propaga em frutas apodrecidas, material orgânico, entre outras coisas como folhas e lixo.

Como a doença é transmitida?

Esta doença não é transmitida de forma direta do cão para o humano, através de lambidas, mordidas, fezes, urina ou outro tipo de contato. Os pets que possuem este problema podem transmitir para outros mosquitos que podem picar os humanos.

Por isso é fundamental ter alguns cuidados com o pet, e assim que você perceber algum tipo de comportamento estranho, busque ajuda de um veterinário para identificar o que ocorre.

Postado em .


Pela Web

Comentários