Por Rodrigo Bueno

publicado em Curiosidades

Que os cachorros se tornaram grandes parceiros dos homens de uma forma geral isso ninguém mais dúvida. Mas quando será que esta pareceria, de fato, teve início? Já que os ancestrais dos cães que hoje são considerados como domésticos eram animais selvagens e carnívoros, que inclusive poderiam facilmente atacar as pessoas para se alimentar.

Pesquisas revelam quando os cães começaram a conviver com os humanos

Cientistas e pesquisadores estão mais próximos de confirmar essa informação. Uma equipe da Geórgia e da Espanha encontraram restos mortais de um cachorro grande. Depois das análises feitas, se descobriu que a ossada era datada entre 1,77 milhão e 1,76 milhão de anos. Analisando a movimentação que os cães selvagens faziam na época, os cientistas sugerem que eles se depararam com humanos no Cáucaso.

A pesquisa indica que estes cães já haviam chegado na Europa acompanhando os humanos há cerca de 1,8 milhão a 0,8 milhão de anos. Mais tarde, os humanos levaram os cães para África. Os pesquisadores também afirmaram que aquele animal encontrado era carnívoro, tendo mais de 70% de carne na sua alimentação. As características dentárias correspondem aos canídeos selvagens do Pleistoceno.

Pesquisas revelam quando os cães começaram a conviver com os humanos

Os pesquisadores acreditam que os restos mortais encontrados pertencem à espécie Canis (Xenocyon) lycaonoides, o cachorro de caça eurasiático. Tudo indica que essa raça surgiu na Ásia Oriental e foi ancestral de cachorros de caça africanos. Ao contrário de outros cachorros de grande tamanho, os cães de caça eurasiáticos eram capazes de prestar cuidados socialmente. Eles traziam alimento aos cães fracos e doentes da matilha.

Além do ser humano, esta espécie poderia ser facilmente considerada como o único mamífero com conduta altruísta em relação a membros não aparentados de seu grupo. Os cientistas acreditam que esse altruísmo poderia ter sido a ração do cão ter se tornado tão amigo do humano, ainda durante o período pré-histórico.