Por Rodrigo Bueno

publicado em Curiosidades

A convivência com os humanos fez os cães perceberam muitas das características das pessoas. E uma delas é que os humanos tendem a mentir. Mas, no caso dos cães, nem sempre essas mentiras são prejudiciais. Por exemplo, muitos donos de cachorros precisam recorrer as mais variadas artimanhas para conseguir dar remédio para os pets, por exemplo.

Pesquisa afirma que cães podem te ignorar quando sabem que você está mentindo

A primeira vez que as pessoas oferecem remédio com algum petisco ou comida geralmente funciona com o cão. Mas muitos deles podem acabar desconfiando das próximas vezes. Neste caso, eles simplesmente recusam o alimento e, consequentemente, o remédio. Pesquisas mais recentes afirmam que os cães conseguem identificar mentiras melhor que bebês humanos e alguns primatas.

O artigo publicado pela Proceedings of the Royal Society B afirma que os cães tendem a ignorar os humanos quando eles sabem que estão sendo enganados, ou pelo menos desconfiam. Mas o que a pesquisa mostra é que, mesmo sabendo muitas vezes da mentira, os cães deixam passar.

A pesquisa foi feita da seguinte forma: Um a um, os animais eram colocados em uma sala com duas pessoas e duas tigelas de ração. Um dos recipientes sempre ficava cheio e o outro sempre vazio. Uma das pessoas, descrita pelos pesquisadores como o “comunicador”, deveria apontar para o prato que estava a recompensa, de modo que o cão seguisse a ordem. Esse treinamento era repetido diversas vezes, até o animal ganhar confiança no líder.

Pesquisa afirma que cães podem te ignorar quando sabem que você está mentindoPesquisa afirma que cães podem te ignorar quando sabem que você está mentindo

Depois, duas situações poderiam ocorrer. Na primeira, o comunicador saia para dar uma volta e deixava o cão na s ala. Enquanto isso, a outra pessoa presente no ambiente passava o alimento de um pote para o outro – tudo visível ao cachorro.

Na outra situação, ambas as pessoas permaneciam na sala e o comunicador presenciava a mudança de pote junto com o animal. Passadas as trocas, o comunicador apontava mais uma vez o mesmo pote para o animal que, agora, estava vazio.

Nos casos em que o comunicador esteve fora durante a troca de recipientes, os cães continuavam seguindo-o em 50% das vezes. Eles acatavam a ordem do mestre, mesmo tendo visto a mudança. Agora, se o comunicador estivesse no local quando a comida foi trocada e mesmo assim ele apontasse para o pote errado, dois terços dos cães apenas o ignoravam – e iam para a tigela certa.

Mais de 30 raças foram testadas. Os mesmos testes foram feitos com primatas e bebês pequenos, e os cães acabaram se saindo melhor em identificar as mentiras.