Um novo estudo feito com cachorros teve recentemente seus resultados divulgados e acabam abrindo a possibilidade de comprovação científica da existência da consciência nestes pets. As informações foram disponibilizadas em um importante periódico científico, chamado Scientific Reports.

Cientistas dizem que “há boa chance” de cães terem consciência

A pesquisa encontrou fortes indícios da capacidade que os cães possuem de “consciência corporal”, ou seja uma manifestação de autoimagem. Este é um conceito muito utilizado e que define basicamente a forma como a pessoa se enxerga, ou seja, a imagem que acaba criando de si mesma dentro da sua cabeça.

Este tipo de construção de uma identidade própria é uma característica de indivíduos que possuem consciência. Parte desse conceito é a "consciência corporal" ou "consciência física" —um reconhecimento de como o seu corpo se relaciona com o espaço físico. O estudo diz que bebês a partir de cinco meses de idade são capazes de reconhecer as próprias pernas se mexendo em um vídeo, como exemplo.

"A consciência corporal, que é a habilidade de guardar informações sobre o próprio corpo na nossa mente, como um objeto explícito, em relação a outros objetos no mundo pode ser considerado um dos blocos fundamentais da construção da representação de si", diz o estudo.

Cientistas dizem que “há boa chance” de cães terem consciência

Os pesquisadores afirmam que eles já encontraram diversos indícios de que a grande maioria das espécies possuem pelo menos algum sentido mais básico de autopercepção. Mas a consciência corporal é um traço distintivamente aplicado aos humanos. A partir disso, os pesquisadores querem saber se mais alguma espécie possui esta capacidade.

O estudo ressalta que os cachorros "habilidades cognitivas complexas muito bem provadas", como empatia e aprendizado social, o que faz deles o objeto de estudo ideal, diz o estudo. E muitos cães que participaram dos testes demonstraram alguns sinais dessa consciência corporal.

O resultado do estudo, de acordo com a própria publicação, afirma que os cachorros mostraram "a primeira evidência convincente de consciência corporal através do entendimento das consequências das próprias ações em uma espécie em que nenhuma capacidade de autoimagem de alta ordem havia sido encontrada anteriormente".