Ter a companhia e o carinho de um animal de estimação simplesmente não tem custo, pelo menos para a grande maioria das pessoas que amam seus fofuxos. Mas, a verdade é que manter um cachorro por perto acaba sim tendo um determinado custo financeiro, que pode até mesmo assustar quando colocado na ponta do lápis.

Cachorro pode custar até dois carros populares durante sua vida

É claro que os números apresentados por um educador financeiro que se dedica a ensinar a arte de manejar o dinheiro através de aulas no Youtube não deve ser um empecilho para qualquer pessoa que queira ter um cachorro de estimação. Na verdade, a ideia é saber que os gastos existem para que elas não sejam pegas de surpresa nas contas mensais.

De acordo com Fabrizio Gueratto, “ter um cachorro é como comprar um carro e pensar só na parcela do financiamento. Também tem IPVA, seguro... De 50 anos para cá, o tratamento dado ao cão mudou muito. As pessoas cuidam como filhos, e há diversos gastos extras para o bem-estar do animal.”

Segundo as contas que foram feitas pelo educador financeiro, os custos para manter um cachorro por cerca de 10 anos, que é o tempo médio que eles vivem, pode acabar chegando ao mesmo valor de dois carros populares novos.

Cachorro pode custar até dois carros populares durante sua vida

Confira os custos mensais médios:

  • Ração – R$ 135 (mensal) / R$ 16.200 (10 anos)
  • Plano de saúde – R$ 136,50 (mensal) / R$ 16.387,20 (10 anos)
  • Banho – R$ 90,00 (mensal) / R$ 10.800 (10 anos);
  • Anti-pulgas e carrapatos – R$ 66,50 (mensal) / R$ 7.980,00 (10 anos);
  • Acessórios – R$ 70 (mensal) / R$ 8.400 ,00 (10 anos);
  • Hotel para 15 dias – R$ 6.750 (10 anos)
  • Total – R$ 66.517,20 (10 anos)

Lembrando que nestes gastos ainda não foram colocados possíveis problemas de saúde que podem surgir nos cães e que não estarão cobertos no plano de saúde.

Como tudo na vida, é claro que é possível ter um cachorro sem gastar tudo isso e manter a sua qualidade de vida aceitável. Mas é importante entender as consequências de cada escolha. Por exemplo, escolher por uma marca de ração mais barata pode acabar ampliando a necessidade de visitas ao veterinário, por exemplo.

O importante é se planejar para não ser pego de surpresa!