A importância dos cachorros para o mundo como o conhecemos, principalmente no ocidente, é gigantesca. Diversos comportamentos humanos acabaram sendo moldados a partir desta convivência, que acabou se mostrando benéfica para ambas as partes. Se o começo da relação era baseada basicamente em ajuda no trabalho, hoje em dia os cães acabaram assumindo diferentes papeis ao lado das pessoas.

3 descobertas sobre os cães que vão te surpreender

Com isso, são diversos os esforços e as pesquisas que são feitas no mundo inteiro para tentar entender melhor o comportamento destes animais de estimação.

Confira 3 descobertas já confirmadas pela comunidade científica sobre os cachorros que vai te surpreender:

Cálculo de idade errado

Se tornou bastante comum calcular a idade dos cachorros a partir de uma comparação com a expectativa de vida humana, na proporção se 1 ano canino para 7 anos das pessoas. Mas esta regra se mostrou bastante falha pelas pesquisas mais recentes feitas. Filhotes costumam envelhecer mais rápido que os cães mais velhos. Com isso, em relação aos humanos, ao completar um ano de vida os cães estariam com algo aproximado dos 30 anos dos humanos.

Eles entendem o que a gente fala

3 descobertas sobre os cães que vão te surpreender

Mesmo com formas de comunicação completamente diferentes uns dos outros, humanos e cães acabaram criando uma sintonia tão grande que eles passaram a entender boa parte do que as pessoas dizem. Analisando o comportamento do cérebro dos cães, os pesquisadores descobriram que eles conseguem aprender e fazer ligações das coisas que a gente fala com atos e objetos. Mas, diferente dos humanos, os cães costumam entender primeiro o tom e depois o significado.

Orientados pelo campo magnético

Novos estudos indicam que os cães conseguem encontrar o caminho de volta para casa, quando estão perdidos, não apenas utilizando o seu olfato, mas também utilizando o campo magnético da Terra como referência.

Os pesquisadores usaram rastreadores GPS para estudar 27 cães que navegaram em 662 expedições de 2014 a 2017 na República Tcheca. Os cães escolhidos foram raças de caça, como terriers e dachshunds, que são treinados para encontrar presas em florestas e, então, o caminho de casa para seus donos.