Adotar um cachorro sempre é uma boa alternativa, tanto do ponto de vista social, uma vez que as pessoas estão ajudando um animal que, possivelmente, estaria em uma condição de vida desfavorável, como também do ponto de vista do bem estar da família, uma vez que um cachorrinho sempre traz alegria para dentro de qualquer casa. Por outro lado, sempre deve ser uma decisão muito bem pensada.

Texto com perguntas que devem ser feitas antes de adotar um cachorro viraliza

E este é um lembre importante especialmente para essa época do final do ano. Nestes períodos, vivemos em um momento de dois extremos. Por um lado, existem muitos cães sendo adotados, especialmente por pais que acabam dando os pets como presentes para os filhos. Por outro lado, também vemos um tradicional aumento no abandono de animais, com famílias que acabam viajando ou simplesmente não se adaptando.

Sobre o assunto, uma postagem feita por uma escritora norte-americana chamada Brittany Tarkington acabou viralizando nas redes sociais. Ela aproveitou uma situação complicada, a de enfrentar uma doença terminal do seu cãozinho que tinha sido adotado, para refletir sobre o momento em que uma pessoa se torna responsável por um animal de estimação.

Texto com perguntas que devem ser feitas antes de adotar um cachorro viraliza

Confira o texto:

“Antes de você adotar aquele filhotinho cheio de vida e fofinho, imagina você daqui a dez anos. Se sua visão não comporta você com uma roupa de banho com seu cãozinho velho tentando dar um banho nele, não adote. Se você não consegue se imaginar limpando as coisas após eles passarem mal, não adote. Se você ri de pessoas que cozinham para seus animais conseguirem comer, não adote. Se você não está apto a ficar acordado durante toda a noite para ter certeza que eles estão bem e respirando, não adote. Se você não tem a cabeça para tomar a decisão que eu tomarei em breve, não o faça. A Winnie não era sempre essa senhora rabugenta com tantas necessidades. 12 anos atrás, ela era um filhote e eu estava na escola. Ela ter ativa, saudável e cheia de vida. Nem sempre foi assim”, escreveu.

“Se você não consegue lidar com o fim da vida, não adote”, completou.