Ter um cachorro costuma dar um certo trabalho para as pessoas. Especialmente aquelas que acabam incorporando o animal como um importante integrante da família. Afinal de contas, aquele ser precisa de uma série de cuidados e acaba se tornando completamente dependente dos seus humanos.

Novos estudos comprovam que ter um cachorro realmente faz bem

As dificuldades costumam ser ainda maiores para um perfil de dono de cães que está crescendo bastante no mundo todo, mas especialmente no Brasil, que são os solteiros que acabam adotando ou comprando um cachorro para que ele possa servir como companhia. Essas pessoas acabam assumindo todos os cuidados sozinha, e precisa sempre pensar no que fazer com o cão em situações de afastamento.

Mas todas estas dificuldades acabam sendo recompensadas pela presença do cachorro no dia a dia. E novos estudos ressaltam os diversos benefícios que os cães acabam trazendo para a vida das pessoas, com alguns deles afetando beneficamente a saúde de todos.

Pesquisas mais antigas já haviam atestado que os adultos e as crianças que costumam conviver com um cachorro no dia a dia costumam reduzir consideravelmente os episódios de estresse. Além disso, estas mesmas pessoas acabam tendo uma chance bem menor de desenvolver determinadas doenças de caráter respiratório, tais como a asma. Até mesmo a pressão arterial fica mais baixa neste grupo de pessoas.

Novos estudos comprovam que ter um cachorro realmente faz bem

Agora, estudos mais recentes mostram também que os donos dos cachorros costumam ter uma vida mais saudável e ativa, especialmente em relação aos exercícios físicos. Basicamente em virtude dos tempos de caminhada que acabam sendo incluídas no dia a dia para levar os cães para rua e também os momentos de recreação dos os dogs.

Os estudos mostram que os donos de cachorros costumam andar 2.760 passos por dia e fazem em média de 23 minutos diários de exercício moderado a mais do que os não-proprietários de cachorros. A diferença costuma ser ainda maior durante o inverno, uma vez que as pessoas costumam continuar saindo com os animais nos dias mais frios do ano.

"Ficamos maravilhados ao descobrir que os donos de cães eram, em média, fisicamente mais ativos e passaram menos tempo sentados em dias mais frios, úmidos e sombrios, quando comparados com quem não tem um cachorro em dias de verão e ensolarados", afirmou Andy Jones, professor da UEA, em comunicado à imprensa.