A grande maioria dos tutores costumam se perguntar sobre quais seriam as reais capacidades cognitivas do seu cachorrinho. Afinal de contas, muitas vezes parece que este pet acaba entendendo mais do que as pessoas estão prontas a acreditar em relação as capacidades de um pet. Por outro lado, cada vez mais pesquisas comprovam a inteligência canina.

Estudo divulga teste caseiro para saber se cão é um gênio

Sabemos, por exemplo, que os cães acabam tendo a capacidade de aprender o significado de determinadas palavras e fazer diretamente a relação com alguma ação. O exemplo mais comum é quando os tutores falam a palavra “passear” e o cão acaba se preparando para o passeio em sí.

Um estudo recente mostra que alguns cachorros acabam apresentando talento para aprender palavras após ouvi-las apenas quatro vezes, o que pode ser considerado uma habilidade realmente bem impressionante. Mas essa capacidade acabaria variando bastante de acordo com a raça dos pets e também com outras características genéticas.

Para saber se o seu cachorro possui uma inteligência acima da média neste quesito, é possível realizar testes de acordo com a pesquisa que foi feita nos laboratórios:

Estudo divulga teste caseiro para saber se cão é um gênio

Para começar, os pesquisadores pediram para eles trazerem um brinquedo de cada vez apenas falando o nome do objeto. Para garantir que a escolha dos animais não fosse influenciada pelos humanos presentes, nem os donos e nem os pesquisadores conseguiam ver os objetos.

A segunda etapa acrescentou mais um nível de dificuldade: dois novos brinquedos foram apresentados a eles e colocados entre os objetos já familiares. O primeiro teste foi repetido, mas dessa vez foram solicitados também os novos brinquedos em ordem aleatória. Whisky conseguiu acertar todas as vezes, enquanto Nina escolheu o novo brinquedo de forma correta em 52,5% das vezes.

Mas como saber que eles não estavam escolhendo os novos brinquedos apenas por exclusão, já que eles sabiam os nomes dos outros objetos? Para checar se Whisky e Nina estavam de fato aprendendo as palavras, os pesquisadores realizaram mais um experimento.

Dessa vez, os cientistas mostraram um brinquedo, falaram o nome dele e deixaram o cachorro brincar com ele. Após repetir o nome de dois novos brinquedos quatro vezes, foi solicitado novamente que o animal trouxesse um deles. No caso, Whisky e Nina deviam escolher apenas entre as duas novas opções, sem nenhum objeto familiar por perto.

De acordo com o estudo, ambos acertaram os brinquedos mais vezes do que o previsto, o que indica que eles estavam realmente aprendendo as palavras rapidamente. Por outro lado, essa memória parece ter sido reduzida após 10 minutos e quase completamente esquecida após uma hora. Ou seja, para que o animal aprenda, de fato, são necessários constantes exercícios de repetição.