Estudos recentes feitos em gatos comprovam algo que os donos de pets já sabiam, ou pelo menos desconfiavam, há muito tempo: os gatos realmente são mais autônomos e também mais solitários que os cachorros de uma forma geral. Os estudos mais recentes sobre o assunto foram feitos na Universidade de Lincoln, no Reino Unido.

Entenda os motivos que levaram os gatos a se tornarem animais solitários

Recentemente os responsáveis pela condução destas pesquisas, Daniel Mills (professor de veterinária) e Alice Potter, essa acabou se tornando uma das pesquisas mais complicadas, especialmente pelos motivos descobertos e que tornam os gatos animais realmente complicados na hora da cooperação para o desenvolvimento de determinadas atividades.

Os cientistas queriam entender quais foram os caminhos tomados pela evolução, em relação aos gatos, que acabaram tornando estes animais propensos a solidão, mesmo sendo domesticados praticamente da mesma forma que os cães. A pesquisa partiu do princípio que a grande maioria dos animais vivem em grupo, até mesmo parentes próximos dos gatos, como é o caso dos leões.

Os grupos de animais acabam trazendo diversas vantagens interessantes em relação aos animais sozinhos que vivem na natureza. Eles conseguem se tornar mais fortes e ameaçadores no momento da caça quando estão juntos, e também se tornam mais eficientes quando estão se defendendo, uma vez que o grupo consegue detectar a presença do inimigo de uma forma mais rápida.

Entenda os motivos que levaram os gatos a se tornarem animais solitários

Mas, para determinados animais, a vida em grupo pode se tornar desvantajosa, uma vez que eles precisam de uma grande quantidade de comida para atender a demanda de todo o grupo. E, no caso especifico dos gatos, cada elemento realmente custa caro, uma vez que eles consomem uma grande quantidade de comida.

Os gatos foram criados próximos dos humanos para caçar animais pequenos, como os ratos. E este tipo de alimento acaba não se dividindo com os amigos, uma vez que se trata de uma pequena porção. E isso contribuiu para que os felinos domésticos se afastassem um dos outros, fazendo com que eles se tornassem antissociais.

Este foi o ponto crucial que fez com que os indivíduos gatos se separassem um dos outros, fazendo com que este comportamento também fosse replicado em relação aos humanos. É claro que existem outros fatores que tornam os felinos mais próximos, mas, de um modo geral, não são animais sociáveis.