O cenário é bastante comum entre os donos de gatos. Eles estão lá tranquilamente recebendo um carinho ou brincando com as pessoas e, quando as pessoas menos esperam, eles cravam os dentes no braço ou na mão dos donos. E muitos acabam ficando um pouco pedidos quando isso acontece, já que não é nada agradável receber uma mordida do seu animal de estimação.

5 motivos que levam o gato a morder seus donos

Os felinos acabam tendo um comportamento um tanto quanto diferente quando comparado com os cachorros, mesmo ambos ocupando um espaço fundamental dentro das casas das pessoas como mascotes. Os ataques de gatos costumam ser mais frequente aos seus donos do que os casos de cães que mordem as pessoas que os alimentam. Mas este tipo de situação pode ser contornada. E o primeiro passo é identificar os motivos:

Personalidade

Muitas vezes as mordidas estão diretamente relacionadas com a personalidade dos felinos. Eles realmente acabam tendo aquele comportamento, seja para brincar ou apenas para extravasar sua energia. Neste caso, será preciso adotar uma série de treinamentos para evitar que as mordidas se tornem um problema.

Dor

A mordida pode ser um reflexo imediato de algum tipo de dor que o animal está sentindo. Isso pode acontecer em uma dor frequente, causada por algum tipo de doença, ou uma dor que pode ter sido sentida naquele momento. Por isso, fique atentos a possíveis outros sintomas.

Muito estimulado

5 motivos que levam o gato a morder seus donos

Muitas pessoas gostam de brincar com movimentos que deixam o gato irritado. E este tipo de movimento pode acabar fazendo com que ele ataque. E ele pode se sentir estimulado a continuar com esse comportamento, na medida em que as brincadeiras não param. Por isso, é importante ter cuidado com o tipo de atividade feita com o felino.

Ameaçado

Quando o gato se sente ameaçado, ele costuma morder, independentemente de quem estiver pela frente. Isso pode acontecer devido a determinados movimentos que podem acabar sendo feitos perto dele.

Defendendo o território

Gatos machos que não são castrados tendem a adotar uma postura defensora em relação ao território. Por isso, ele pode acabar atando e mordendo sempre que achar que uma figura estranha está invadindo.