Fofuxo.com

Diabetes felina: Entenda como ajudar o seu pet

Casos da doença estão aumentando em diversos países, incluindo o Brasil.

Seja por mudanças no comportamento e no estilo de vida dos animais ou seja pelos maiores cuidados que os humanos estão tendo com os seus pets, o fato é que algumas doenças estão se tornando mais comuns e animais de estimação. No caso dos gatos, algo que está se tornando mais comum é a diabetes felina.

Diabetes felina: Entenda como ajudar o seu pet

A diabetes é uma doença conhecida pelos humanos, afetando milhões de pessoas ao redor do mundo. Mas o que muitas pessoas não sabem é que os problemas relacionados a fabricação de insulina no organismo, e a consequente concentração de açúcar no sangue, também afeta alguns animais.

No caso dos felinos, o aumento da incidência pode ser observado na diabetes mellitus do tipo 2. A doença, assim como nos humanos, ainda não tem cura. Mas ela pode ser perfeitamente controlada com medicamentos e também com algumas alterações na rotina de vida do animal de estimação, e consequentemente do dono.

Como a diabetes ataca o organismo dos gatos

A diabetes ataca o organismo dos felinos da mesma forma que a doença acaba atacando o organismo das pessoas. O pâncreas, que produz a insulina natural que os mamíferos possuem em seu organismo, não funciona corretamente, o que acaba atrapalhando diretamente a quantidade da substância.

Com a falta de insulina no corpo o organismo do felino passa a ter mais dificuldade em transformar toda a glicose, obtida a partir dos carboidratos, em energia. Consequentemente o animal passa ter a uma grande concentração de açúcar no seu sangue, causando a chamada hiperglicemia.

Como evitar que o gato tenha diabetes

Diabetes felina: Entenda como ajudar o seu pet

Existe uma pré-disposição genética que pode fazer com que os gatos tenham diabetes desde muito cedo na sua vida. Mas a grande maioria acaba desenvolvendo o problema depois de uma certa idade, quando já podem ser considerados gatos idosos.

Mas também existem dois fatores externos que podem contribuir para o desenvolvimento da doença: a má alimentação e também a falta de exercícios físicos. Gatos que costumam ingerir produtos com uma grande quantidade de açúcar e que não se movimentam muito ao longo do dia acabam sobrecarregando o sem pâncreas, o que pode acabar levando a diabetes em um futuro próximo.

Sintomas e tratamento da diabetes felina

Descobrir que o gato está com diabetes não é uma tarefa nada fácil. Os sintomas aparecem aos poucos e podem se tornar imperceptíveis para os menos atentos. Um dos primeiros sinais é a o aumento do consumo de água, que pode passar batido no verão, por exemplo. Mas uma dica que realmente pode ajudar a descobrir a diabetes é a perda de peso rápida, mesmo com o gato comendo normalmente.

Neste caso é recomendado levar o felino imediatamente ao veterinário para que ele possa fazer os exames necessários.

A partir dos resultados o veterinário irá receitar um tratamento, que poderá ser composto por medicamentos e também por alterações na alimentação dos felinos, como rações especiais. 

Postado em .


Pela Web

Comentários