Fofuxo.com

Acnes em animais

Saiba que o seu cão e o seu gato também podem ter as famosas espinhas

Quando se fala em acne, ou mais popularmente conhecida como espinha, geralmente as pessoas pensam nos adolescentes. E realmente aqueles que estão saindo da infância e entrando na vida adulta acabam sofrendo bastante com este tipo de problema, devido as alterações hormonais que acontecem com o corpo deles durante o período. Mas saiba que não são apenas as pessoas que sofrem com este problema. Cães e gatos também podem sofrer com o surgimento da acne.

Acnes em animais

O problema acaba acontecendo e surgindo com uma determinada frequência em determinadas raças de cães, especialmente quando eles apresentam uma pelagem mais curta, como os bulldogues, ou dobermans, dentre outros. Nos atos também a acne pode surgir em determinadas raças, da mesma forma o problema é mais comum com os pelos mais curtos.

E um fato curioso é que o mesmo motivo do surgimento da acne nos adolescentes humanos também é o motivo do surgimento da acne nos animais: alterações hormonais durante o crescimento, sendo que os gatos e os cães acabam apresentando o problema entre 3 e 12 meses de idade. Mas a acne também pode surgir nos animais em outras épocas da sua vida.

Regiões afetadas

Gatos também podem ter acne. De acordo com os veterinários e os especialistas, a maioria dos problemas relacionados a acne em animais acabam surgindo na parte de baixo da cabeça, mais precisamente na região do queixo, na parte ao redor dos lábios e também no focinho. O dono consegue identificar o problema no animal quando surge um ou mais nódulos que aparecem inchados e geralmente cheios de pus.

Assim como os humanos, sempre que alguém ou até mesmo o animal aperte ou passe a unha, ela pode romper, fazendo com que saia o pus e também sangue, além de causar dor no cão, mas nada insuportável. Existem alguns casos mais graves onde aparecem vários nódulos concentrados no mesmo local, causando inchaço na região do entorno.

Tratamento

A maioria dos casos de acne nos animais acabam desaparecendo naturalmente, sendo que depois dos 12 meses de vida os animais acabam deixando de apresentar os nódulos. Nos caos mais sérios os donos também poderão limpar o local com antissépticos para que não corra o risco de inflamação. Nos casos mais graves o animal deve ser levado ao veterinário para fazer uma drenagem no local.

Quando o cão for propenso ao problema, a limpeza diária das regiões mais afetadas poderão evitar o problema.

Postado em .


Pela Web

Comentários